28 de nov de 2011

Mascaras

Ha quem ache que sou feita de ferro
Que sou forte e compreensiva
Que sou controlada e sensata

Ha quem ache que sou toda mulher
Que sou sedutora e encantadora
Que sou experiente e cheia de vida

Ha quem ache que sou toda rebelde
Que sou teimosa e sem causa
Que sou selvagem e indomavel

Ainda ha quem ache que sou toda alegria
Toda sorriso e palavras fartas de jubilo e confiança
Toda entusiasmada, toda jovial. Cheia de prazer e satisfação

Infelizmente ha quem nao veja o que existe por tras de um simples dizer
Ha quem não entenda a expressão em meu olhar
Ha quem não escute o meu dissabor

Ha quem só veja a garota saltitante e serelepe
Ha garota que a todos só quer bem
Sem esperar nada de ninguem

Ha quem não perceba o fardo pesado
De sempre ter que mostrar o sorriso
De sempre manter as aparencias

Ha quem eu gostaria que
Por alguns minutos parassem de olhar a mascara
E visualizassem o que ha por baixo dela

Uma delicada flor
Com sua simplicidade e raro perfume
Com um coração vulneravel e quebradiço
E um grande defeito..

A vontade de se doar

Doar-se sempre sem medida
Chorar por um sorriso
Sorrir em meio a lagrimas

Ver alegria em meio a dor
Luz em meio as trevas,
Saida entre obstaculos.
Esperança...

Talvez tudo isso não seja só um grande defeito.
Talvez ... Quem sabe?!